Associação Catarinense de Preservação da Natureza
Blumenau, 19 de Janeiro de 2020

NOTÍCIAS

Região da China proíbe venda de combustível sem álcool

.: 11 / Mar / 2008

Os postos de gasolina da região autônoma de Guangxi, no sul da China, passarão em abril a ser obrigados a só negociar gasolina e óleo diesel que tenham 10% de álcool na fórmula, sendo proibidos de vender os combustíveis puros.

Quem desrespeitar a ordem poderá receber multa de 10 mil a 50 mil yuans (R$ 2.382 a R$ 11.910).

A medida tem por objetivo diminuir a poluição e fomentar a economia local, que produzirá o álcool à base de mandioca.

Essa é a primeira vez que uma Província da China substitui totalmente o consumo de derivados do petróleo puro por uma mistura que leva biocombustível, destacou Li Jinzao, delegado do Partido Comunista, em declaração à agência de notícias estatal Xinhua.

Pelo menos outras oito regiões da China também já promovem parcialmente a mistura de 10% de etanol nos combustíveis fósseis, mas Guangxi é a única a proibir o comércio de gasolina e diesel puros e de ter uma produção de álcool comercial que não utiliza milho como matéria-prima.

Economia - Segundo números citados pelo governo da Província, a adição de 10% de etanol aos combustíveis fósseis reduz as emissões de monóxido de carbono (CO) entre 25% e 30% e as de dióxido de carbono (CO2) em 10%.

Guangxi é uma das regiões mais pobres da China. A renda per capita anual de um agricultor da Província é de 2.770 yuans (R$ 660), ou 33% abaixo da média nacional, segundo o governo local.

A colheita anual média de mandioca de Guangxi é de seis milhões de toneladas, o que representa mais de 60% de toda a produção nacional da raiz, de acordo com dados da imprensa estatal.

Com o uso do etanol a base do tubérculo, as autoridades esperam gerar mais de 720 milhões de yuans (R$ 171 milhões) de renda para os agricultores.

Em dezembro passado foi inaugurada na cidade de Beihai, em Guangxi, a primeira usina de processamento de etanol, que tem capacidade para produzir 200 mil toneladas do combustível por safra. Estudos para a construção de outras três usinas estão em andamento.

Milho - A China tem planos para dobrar a sua capacidade de processar etanol dentro dos próximos três anos.

O país espera pular de 1 milhão de toneladas para 2 milhões de toneladas ao ano até 2010 e possivelmente chegar a 10 milhões de toneladas por ano em 2020.

Em julho do ano passado o governo anunciou a proibição do uso de milho para a produção do biocombustível, depois que o preço sofreu forte alta devido a escassez.

As regiões que fabricam o etanol de milho têm um prazo de cinco anos para se adaptar e substituir o ingrediente por outra matéria-prima.

Fonte: Globo Online


OUTRAS NOTÍCIAS

» Ver todas as noticias de Abril/2016
» Ver todas as noticias de Junho/2015
» Ver todas as noticias de Abril/2015
» Ver todas as noticias de Março/2015
» Ver todas as noticias de Janeiro/2015
» Ver todas as noticias de Outubro/2014
» Ver todas as noticias de Julho/2014
» Ver todas as noticias de Junho/2014
» Ver todas as noticias de Maio/2014
» Ver todas as noticias de Abril/2014
» Ver todas as noticias de Março/2014
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2014
» Ver todas as noticias de Dezembro/2013
» Ver todas as noticias de Novembro/2013
» Ver todas as noticias de Setembro/2013
» Ver todas as noticias de Agosto/2013
» Ver todas as noticias de Julho/2013
» Ver todas as noticias de Junho/2013
» Ver todas as noticias de Maio/2013
» Ver todas as noticias de Abril/2013
» Ver todas as noticias de Abril/2012
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2012
» Ver todas as noticias de Janeiro/2012
» Ver todas as noticias de Junho/2011
» Ver todas as noticias de Maio/2011
» Ver todas as noticias de Abril/2011
» Ver todas as noticias de Março/2011
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2011
» Ver todas as noticias de Janeiro/2011
» Ver todas as noticias de Dezembro/2010
» Ver todas as noticias de Novembro/2010
» Ver todas as noticias de Outubro/2010
» Ver todas as noticias de Setembro/2010
» Ver todas as noticias de Agosto/2010
» Ver todas as noticias de Julho/2010
» Ver todas as noticias de Junho/2010
» Ver todas as noticias de Maio/2010
» Ver todas as noticias de Abril/2010
» Ver todas as noticias de Março/2010
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2010
» Ver todas as noticias de Janeiro/2010
» Ver todas as noticias de Dezembro/2009
» Ver todas as noticias de Novembro/2009
» Ver todas as noticias de Outubro/2009
» Ver todas as noticias de Setembro/2009
» Ver todas as noticias de Agosto/2009
» Ver todas as noticias de Julho/2009
» Ver todas as noticias de Junho/2009
» Ver todas as noticias de Maio/2009
» Ver todas as noticias de Abril/2009
» Ver todas as noticias de Março/2009
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2009
» Ver todas as noticias de Janeiro/2009
» Ver todas as noticias de Dezembro/2008
» Ver todas as noticias de Novembro/2008
» Ver todas as noticias de Outubro/2008
» Ver todas as noticias de Setembro/2008
» Ver todas as noticias de Agosto/2008
» Ver todas as noticias de Julho/2008
» Ver todas as noticias de Junho/2008
» Ver todas as noticias de Maio/2008
» Ver todas as noticias de Abril/2008
» Ver todas as noticias de Março/2008
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2008
» Ver todas as noticias de Janeiro/2008
» Ver todas as noticias de Dezembro/2007
» Ver todas as noticias de Novembro/2007
» Ver todas as noticias de Outubro/2007
» Ver todas as noticias de Setembro/2007
» Ver todas as noticias de Agosto/2007
» Ver todas as noticias de Julho/2007
» Ver todas as noticias de Junho/2007
» Ver todas as noticias de Maio/2007
» Ver todas as noticias de Abril/2007
» Ver todas as noticias de Março/2007
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2007
» Ver todas as noticias de Janeiro/2007
....................................................................................................................................................
Acaprena - Associação Catarinense de Preservação da Natureza
Rua Antônio da Veiga, 140 - Sala D107 - Victor Konder - Blumenau - SC
Fone: (47) 3321-0434 - E-mail: contato@acaprena.org.br

....................................................................................................................................................