Associação Catarinense de Preservação da Natureza
Blumenau, 18 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS

DNA e armadilhas fotográficas para estudar mamíferos

.: 14 / Set / 2009

Na medida em que o desmatamento avança pela Amazônia, fragmentos de floresta vão sendo deixados entre os pastos e as plantações. Aparentemente, a mata está conservada nessas áreas, mas um olhar mais atento revela que a biodiversidade em seu interior é seriamente prejudicada.

A bióloga Fernanda Michalski esteve por oito anos na região de Alta Floresta (MT) estudando os efeitos da fragmentação sobre mamíferos amazônicos, tentando determinar que área de floresta eles precisam para sobreviver e qual o tamanho apropriado para os corredores de vegetação que são deixados para preservar as encostas dos rios, e que acabam fazendo com que os fragmentos não fiquem totalmente isolados.

Para verificar por onde circulam os mamíferos, ela usa armadilhas fotográficas – câmeras com sensores que disparam quando um animal se aproxima – e, mais recentemente, análises de DNA de fezes.

“O DNA é um método inédito para pesquisa de carnívoros na Amazônia e está funcionando muito bem. Além de identificar as espécies, estamos tentando reconhecer indivíduos”, explica. “Isso nos surpreendeu porque na floresta amazônica, o calor e a umidade degradam o DNA muito rapidamente”. O trabalho de identificação genética é uma parceria com o cientista Eduardo Eizirik, da PUC do Rio Grande do Sul.

As conclusões do trabalho da cientista da Universidade de São Paulo e do Instituto Pró-Carnívoros devem ser apresentadas em um congresso científico em algumas semanas. Segundo ela, mais de 30 mamíferos distintos foram flagrados pelas câmeras.

Uma das coisas que a pesquisadora pode comprovar no trabalho de campo é que varia muito para cada espécie o tamanho do corredor de floresta que precisa ser deixado para que os animais circulem entre os fragmentos. Esse intercâmbio é importante para manter a troca de material genético entre as populações.

“O macaco-aranha, por exemplo, precisa de uma faixa de pelo menos 400 metros de mata ”, explica. Já a onça-parda se desloca de um fragmento a outro até por campos abertos. Sua prima, a onça-pintada, por sua vez, prefere se mover por corredores que beiram os rios. Por lei, a mata ciliar precisa ser mantida como área de preservação permanente.

De acordo com a pesquisadora, para que a fauna seja mantida na sua totalidade, um fragmento de floresta tem que ter pelo menos 10 mil hectares (100 km²).


Fonte: Dennis Barbosa/ Globo Amazônia


OUTRAS NOTÍCIAS

» Ver todas as noticias de Abril/2016
» Ver todas as noticias de Junho/2015
» Ver todas as noticias de Abril/2015
» Ver todas as noticias de Março/2015
» Ver todas as noticias de Janeiro/2015
» Ver todas as noticias de Outubro/2014
» Ver todas as noticias de Julho/2014
» Ver todas as noticias de Junho/2014
» Ver todas as noticias de Maio/2014
» Ver todas as noticias de Abril/2014
» Ver todas as noticias de Março/2014
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2014
» Ver todas as noticias de Dezembro/2013
» Ver todas as noticias de Novembro/2013
» Ver todas as noticias de Setembro/2013
» Ver todas as noticias de Agosto/2013
» Ver todas as noticias de Julho/2013
» Ver todas as noticias de Junho/2013
» Ver todas as noticias de Maio/2013
» Ver todas as noticias de Abril/2013
» Ver todas as noticias de Abril/2012
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2012
» Ver todas as noticias de Janeiro/2012
» Ver todas as noticias de Junho/2011
» Ver todas as noticias de Maio/2011
» Ver todas as noticias de Abril/2011
» Ver todas as noticias de Março/2011
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2011
» Ver todas as noticias de Janeiro/2011
» Ver todas as noticias de Dezembro/2010
» Ver todas as noticias de Novembro/2010
» Ver todas as noticias de Outubro/2010
» Ver todas as noticias de Setembro/2010
» Ver todas as noticias de Agosto/2010
» Ver todas as noticias de Julho/2010
» Ver todas as noticias de Junho/2010
» Ver todas as noticias de Maio/2010
» Ver todas as noticias de Abril/2010
» Ver todas as noticias de Março/2010
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2010
» Ver todas as noticias de Janeiro/2010
» Ver todas as noticias de Dezembro/2009
» Ver todas as noticias de Novembro/2009
» Ver todas as noticias de Outubro/2009
» Ver todas as noticias de Setembro/2009
» Ver todas as noticias de Agosto/2009
» Ver todas as noticias de Julho/2009
» Ver todas as noticias de Junho/2009
» Ver todas as noticias de Maio/2009
» Ver todas as noticias de Abril/2009
» Ver todas as noticias de Março/2009
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2009
» Ver todas as noticias de Janeiro/2009
» Ver todas as noticias de Dezembro/2008
» Ver todas as noticias de Novembro/2008
» Ver todas as noticias de Outubro/2008
» Ver todas as noticias de Setembro/2008
» Ver todas as noticias de Agosto/2008
» Ver todas as noticias de Julho/2008
» Ver todas as noticias de Junho/2008
» Ver todas as noticias de Maio/2008
» Ver todas as noticias de Abril/2008
» Ver todas as noticias de Março/2008
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2008
» Ver todas as noticias de Janeiro/2008
» Ver todas as noticias de Dezembro/2007
» Ver todas as noticias de Novembro/2007
» Ver todas as noticias de Outubro/2007
» Ver todas as noticias de Setembro/2007
» Ver todas as noticias de Agosto/2007
» Ver todas as noticias de Julho/2007
» Ver todas as noticias de Junho/2007
» Ver todas as noticias de Maio/2007
» Ver todas as noticias de Abril/2007
» Ver todas as noticias de Março/2007
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2007
» Ver todas as noticias de Janeiro/2007
....................................................................................................................................................
Acaprena - Associação Catarinense de Preservação da Natureza
Rua Antônio da Veiga, 140 - Sala D107 - Victor Konder - Blumenau - SC
Fone: (47) 3321-0434 - E-mail: contato@acaprena.org.br

....................................................................................................................................................