Associação Catarinense de Preservação da Natureza
Blumenau, 25 de Janeiro de 2020

NOTÍCIAS

Estudo prevê impactos na economia provocados pelo Aq. Global

.: 26 / Nov / 2009

O estudo "Economia das Mudanças do Clima no Brasil", lançado nesta quarta-feira (25/11), em Brasília e no Rio de Janeiro, prevê que o Brasil poderá perder R$ 3,6 trilhões do seu PIB até 2050, em consequência dos impactos provocados pelo aquecimento global. O relatório analisa os impactos da mudança climática no desenvolvimento do país, com perspectivas macroeconômicas, regionais e setoriais, além de recomendações para adaptação, mitigação e ações prioritárias.

Segundo o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, que participou do lançamento no Rio de Janeiro, os dados desse estudo vão ser utilizados, por exemplo, em um programa do governo federal de prevenção das mudanças climáticas no Nordeste, a ser lançado em fevereiro do ano que vem, pelo presidente Lula.

Para Minc, o estudo mostra que as consequências da mudança do clima no futuro já é fato. "Elas virão e não serão pequenas", disse Minc, que ressaltou que a sociedade precisa pressionar as autoridades públicas e os diferente setores econômicos para implementar ações de redução de CO2 e de mitigação dos efeitos do aquecimento global.

O estudo, desenvolvido por cientistas das principais instituições de pesquisa do país, é inédito e foi inspirado no Relatório Stern, do Reino Unido, que fez uma análise econômica do problema das mudanças climáticas em nível global. O ponto de partida foram projeções do comportamento do clima até 2050, como temperatura e fluxo hidrológico. A partir daí, foram interpretados os impactos econômicos para cada setor econômico. Foram usadas possíveis trajetórias do aquecimento global, desenvolvidas pelo Painel Intergovernamental de Mudança do Clima (IPCC).

A Amazônia e o Nordeste serão as regiões brasileiras que terão o maior impacto do aquecimento global. O aquecimento na Amazônia pode chegar a 8ºC em 2100. Com esse cenário, 40% da cobertura florestal na região sul-sudeste-leste da Amazônia poderá ser substituída por savana.

Já no Nordeste, as chuvas tenderiam a diminuição de cerca de 2,5 mm por dia até 2100, causando uma brusca redução na vazão das principais bacias hidrográficas. A geração de energia poderá ter uma redução de cerca de 30%. Com menos chuva, o Nordeste ainda poderá ter grandes perdas agrícolas, além de reduzir em 25% a capacidade de pastoreiro de bovinos de corte.

O estudo prevê perdas expressivas para a agricultura em todos os estados. Com exceção da cana-de-açúcar, todas culturas sofreriam redução das áreas com baixo risco de produção, em especial a soja (até 34%), milho (15%) e café (18% ).

ASCOM

Fonte: Imprensa MMA


OUTRAS NOTÍCIAS

» Ver todas as noticias de Abril/2016
» Ver todas as noticias de Junho/2015
» Ver todas as noticias de Abril/2015
» Ver todas as noticias de Março/2015
» Ver todas as noticias de Janeiro/2015
» Ver todas as noticias de Outubro/2014
» Ver todas as noticias de Julho/2014
» Ver todas as noticias de Junho/2014
» Ver todas as noticias de Maio/2014
» Ver todas as noticias de Abril/2014
» Ver todas as noticias de Março/2014
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2014
» Ver todas as noticias de Dezembro/2013
» Ver todas as noticias de Novembro/2013
» Ver todas as noticias de Setembro/2013
» Ver todas as noticias de Agosto/2013
» Ver todas as noticias de Julho/2013
» Ver todas as noticias de Junho/2013
» Ver todas as noticias de Maio/2013
» Ver todas as noticias de Abril/2013
» Ver todas as noticias de Abril/2012
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2012
» Ver todas as noticias de Janeiro/2012
» Ver todas as noticias de Junho/2011
» Ver todas as noticias de Maio/2011
» Ver todas as noticias de Abril/2011
» Ver todas as noticias de Março/2011
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2011
» Ver todas as noticias de Janeiro/2011
» Ver todas as noticias de Dezembro/2010
» Ver todas as noticias de Novembro/2010
» Ver todas as noticias de Outubro/2010
» Ver todas as noticias de Setembro/2010
» Ver todas as noticias de Agosto/2010
» Ver todas as noticias de Julho/2010
» Ver todas as noticias de Junho/2010
» Ver todas as noticias de Maio/2010
» Ver todas as noticias de Abril/2010
» Ver todas as noticias de Março/2010
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2010
» Ver todas as noticias de Janeiro/2010
» Ver todas as noticias de Dezembro/2009
» Ver todas as noticias de Novembro/2009
» Ver todas as noticias de Outubro/2009
» Ver todas as noticias de Setembro/2009
» Ver todas as noticias de Agosto/2009
» Ver todas as noticias de Julho/2009
» Ver todas as noticias de Junho/2009
» Ver todas as noticias de Maio/2009
» Ver todas as noticias de Abril/2009
» Ver todas as noticias de Março/2009
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2009
» Ver todas as noticias de Janeiro/2009
» Ver todas as noticias de Dezembro/2008
» Ver todas as noticias de Novembro/2008
» Ver todas as noticias de Outubro/2008
» Ver todas as noticias de Setembro/2008
» Ver todas as noticias de Agosto/2008
» Ver todas as noticias de Julho/2008
» Ver todas as noticias de Junho/2008
» Ver todas as noticias de Maio/2008
» Ver todas as noticias de Abril/2008
» Ver todas as noticias de Março/2008
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2008
» Ver todas as noticias de Janeiro/2008
» Ver todas as noticias de Dezembro/2007
» Ver todas as noticias de Novembro/2007
» Ver todas as noticias de Outubro/2007
» Ver todas as noticias de Setembro/2007
» Ver todas as noticias de Agosto/2007
» Ver todas as noticias de Julho/2007
» Ver todas as noticias de Junho/2007
» Ver todas as noticias de Maio/2007
» Ver todas as noticias de Abril/2007
» Ver todas as noticias de Março/2007
» Ver todas as noticias de Fevereiro/2007
» Ver todas as noticias de Janeiro/2007
....................................................................................................................................................
Acaprena - Associação Catarinense de Preservação da Natureza
Rua Antônio da Veiga, 140 - Sala D107 - Victor Konder - Blumenau - SC
Fone: (47) 3321-0434 - E-mail: contato@acaprena.org.br

....................................................................................................................................................